Biodiversidade e equilíbrio funcional na manutenção da saúde do solo

A diversidade de microrganismos do solo é tão ampla que apenas 1g de solo pode conter 10 bilhões de microrganismos de milhares de espécies distintas. No entanto, cada tipo de solo do planeta apresenta uma comunidade microbiana única.

Qual a relação da diversidade microbiana com o solo saudável?


Os microrganismos do solo são responsáveis por importantes funções como a ciclagem de nutrientes e degradação de matéria orgânica (link). Dessa maneira, a manutenção da diversidade é fundamental para preservação dessas atividades tão importantes para o sustento da vida na Terra.

Em ambientes impactados, por exemplo, a recuperação e a manutenção das funções do solo é garantida pela redundância funcional e preservação de grupos. Em outras palavras, a perda de determinada espécie pode ser compensada por outras que realizem a mesma função no solo.


Desequilíbrio funcional do solo


A utilização intensiva de agrotóxicos e fertilizantes químicos pode impactar negativamente o solo de diversas formas. Uma dessas consequências é o desequilíbrio biológico, reduzindo a biodiversidade dos microrganismos.


Em decorrência, a redução microbiológica do solo pode afetar o fluxo energético do sistema, já que as atividades metabólicas desses organismos podem estar interligadas. Dessa forma, a ausência de uma espécie-chave responsável por determinada etapa na degradação de um composto, pode comprometer a ciclagem de nutrientes do solo.

A utilização de biofertilizantes é um método eficaz na reestruturação da microbiota afetada, visto que são ricas em organismos benéficos, nutrientes, metabólitos e hormônios produzidos por estes. Além da recuperação do solo, apresenta aplicabilidade no controle de fitopatógenos e na biorremediação de solos contaminados.


Por que fazer análise de microbioma do solo?


A estimativa da diversidade do solo bem como a detecção de grupos específicos, benéficos ou maléficos, indicam a saúde do solo e permitem o desenvolvimento de técnicas de manejo mais adequadas.


Por meio de plataformas de sequenciamento de última geração, a Agrega realiza o sequenciamento metagenômico e metataxonômico de amostras de solo utilizando as regiões marcadoras (16S rRNA para bactérias e ITS para fungos). Análises metataxonômicas geram informações ao nível de gênero, enquanto a metagenômica, pode revelar rotas metabólicas específicas e prover uma identificação até o nível de espécie .


Um diferencial da empresa é a contextualização dos parâmetros bioindicativos, favorecendo a compreensão do laudo e a utilidade dos dados obtidos.


Conte com os serviços da Agrega para monitorar a saúde microbiana do solo!


Referências


Machado (2010). Biofertilizante como ferramenta para incrementar a diversidade microbiana visando o manejo de doenças de plantas. Dissertação de mestrado, Ufscar. https://www.alice.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/883437/1/2010TSMachadoBiofertilizante9976.pdf


Mendes et al. (2015). Soil-Borne Microbiome: Linking Diversity to Function. Microb Ecol 70, 255-265. https://doi.org/10.1007/s00248-014-0559-2


Prosser (2002). Molecular and functional diversity in soil micro-organisms. Plant and Soil 244: 9–17. http://www.jstor.org/stable/24130380.


Rech et al. (2013). Microbiota do solo em vinhedos agroecológicos e convencional e sob vegetação nativa em Caxias do Sul, RS. Rev. Bras. de Agroecologia. 8(3): 141-151. https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/13264


Zilli et al. (2003). Diversidade microbiana como indicador de qualidade do solo. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, v. 20, n. 3, p. 391-411. https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/625814/diversidade-microbiana-como-indicador-de-qualidade-do-solo


29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo